Arquivos

Hope Estate Basalt Block Shiraz

SAFRA: 2014
REGIÃO: Hunter Valley (Nova Gales do Sul) – Austrália
TIPO: Vinho Tinto, 100% Shiraz
ÁLCOOL: 13,0%

HISTÓRICO: A vinícola Hope Estate foi criada em 1994 pelo farmacêutico Michael Hope, que abandonou sua profissão para dedicar-se inteiramente aos vinhos. Localizada no coração da região vinícola de Hunter Valley, abriga o maior anfiteatro de concertos musicais ao ar livre da Austrália, trazendo a cada temporada uma impressiva variedade de lendários artistas internacionais. Hope Estate também é dona da Tower Estate, uma criação do ícone da indústria vinícola Len Evans, e da Virgin Hills, com vinhedos nos Estados de  Victoria e Austrália Ocidental. Hunter Valley é a mais antiga região vinícola da Austrália, sendo que as primeiras vinhas foram plantadas em 1820 e a Shiraz, uva emblemática do país, teve seu primeiro pé plantado ali em 1832. Os pioneiros encontraram um clima similar ao sul da França, com clima moderado e solos ricos, ideal para cepas como Semillon, Verdelho, Chardonnay, Shiraz e Merlot.

O vinhedo Basalt Block Shiraz está localizado entre as colinas da cordilheira Brokenback. Raridade no Hunter Valley, o vinhedo foi formado por atividade vulcânica, que conduziu a um solo vermelho rico devido à rocha basáltica subjacente ter se desintegrado. Este solo rico em minerais produz uvas concentradas e de baixo rendimento, que os vinicultores da Hope Estate usam para fazer este vinho singular de vinhedo único.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: De coloração rubi a vermelho escuro, este vinho apresenta um agradável aroma repleto de especiarias, cereja preta, amora, ervas secas, alcaçuz, menta, couro e baunilha. Vinho de corpo médio, tem um sabor suave, suculento de frutas silvestres intensas, ameixas picantes, é rico e absolutamente delicioso. Acidez equilibrada, com baunilha do carvalho bem integrado e taninos suaves e sedosos. Um toque terroso, que dá fama ao Shiraz de Hunter Valley, junto com alcaçuz, levam ao final longo e seco. Envelheceu por 12 meses em barricas de carvalho francês e americano. Complementa os pratos mais delicados de carneiro e cortes bovinos e da culinária italiana. Beba agora ou aguarde por mais de uma década.

ENVELHECIMENTO: Estrutura para ser adegado por mais de uma década.

Climbing Shiraz

SAFRA: 2016
REGIÃO: Orange (Nova Gales do Sul) – Austrália
TIPO: Vinho Tinto, 100% Shiraz
ÁLCOOL: 14,0%

HISTÓRICO: A região de Orange fica a menos de 4 horas de Sydney, e é a mais elevada – com 600 metros, mais ensolarada e a maior região vinícola de clima frio da Austrália. Os vinhos de altitude tem corpo médio, são mais frutados, crocantes e vibrantes. Comparando com regiões quentes, obtém-se metade do volume de uvas de cada videira, mas o dobro da intensidade do sabor. A acidez mais elevada é a chave para a perfeita harmonização com comida. Fundada em 2004 a vinícola, com 508 hectares, possui vinhedos em Orange e Central Ranges, e, em South Australia (regiões de Coonawarra, Clare Valley, Adelaide Hills e Langhorne Creek), e Western Australia (em Margaret River). Cumulus é a mais premiada vinícola da região de Orange e recebeu quatro estrelas de James Holliday, no Australian Wine Companion. Premiações deste vinho: Double Gold: China Wine and Spirits Awards. 93 pontos: Royal Sydney Wine Show. 92 pontos: James Halliday e Huon Hooke. Gold: Australian Highlands Wine Show. Bronze: Decanter World Wine Awards e International Wine Challenge.

Seu rótulo é inspirado nas videiras mais altas, com seu caráter único, e foi baseado em um pôster do Dive Circus, do ano de 1880, com o arrojado Henry escalando as alturas inspirado pelo vulcão australiano Mount Canabolas, extinto há algumas centenas de anos.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Tom vermelho escuro com bordas roxas. Aromas de groselha, frutos de ameixa madura e especiarias. Encorpado, com generosa fruta madura, notas picantes de pimenta preta, chocolate e baunilha. Estruturado, paladar com suave textura, taninos suculentos e final prolongado. Passou 12 meses em barris de carvalho francês de 225 e 300L. Perfeito quando harmonizado com carnes vermelhas assadas e/ou grelhadas ou então queijos maduros.

ENVELHECIMENTO: Pronto agora ou guardar até 2026.

Rolling Cabernet Merlot

SAFRA: 2015
REGIÃO: Central Ranges (Nova Gales do Sul) – Austrália
TIPO: Vinho Tinto, 78% Cabernet Sauvignon e 22% Merlot
ÁLCOOL: 13,5%

HISTÓRICO: Inspirado nas colinas das cordilheiras centrais, perto de Orange, no Estado de Nova Gales do Sul, os vinhos “Rolling” são provenientes de vinhedos próprios em áreas de elevação sub-600 mts, onde as temperaturas baixas e a luz solar constante produzem frutos de tonalidades incríveis e sabores vibrantes. Os vinhos de altitude tem corpo médio, são mais frutados, crocantes e vibrantes. Comparando com regiões quentes, obtém-se metade do volume de uvas de cada videira, mas o dobro da intensidade do sabor. A acidez mais elevada é a chave para a perfeita harmonização com comida. Fundada em 2004 a vinícola, com 508 hectares, possui vinhedos em Orange e Central Ranges, e, em South Australia (regiões de Coonawarra, Clare Valley, Adelaide Hills e Langhorne Creek), e Western Australia (em Margaret River). Cumulus é a mais premiada vinícola da região de Orange e recebeu quatro estrelas de James Holliday, no guia Australian Wine Companion. Premiações – Gold: AIN Wine Challenge. Silver: China Wine & Spirits Awards. Bronze: Royal Sydney Wine Show, International Cool Climate Wine Show e Decanter Asia Wine Awards. Commended: Decanter World Wine Awards .

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Tom vermelho escuro com bordas roxas. Aromas vibrantes de cereja, frutas vermelhas e escuras. Encorpado e com paladar evidenciando suculenta fruta madura e cassis. Acidez equilibrada. Taninos firmes, mas macios, e final prolongado. As cepas foram envelhecidas de forma separada em barris de carvalho francês por nove meses e depois misturadas para filtragem e engarrafamento. Harmoniza muito bem com pernil de cordeiro, ensopados, spaghetti à bolonhesa ou lasanha.

ENVELHECIMENTO: Pronto agora ou guardar até 2024.

Rolling Shiraz

SAFRA: 2015
REGIÃO: Central Ranges (Nova Gales do Sul) – Austrália
TIPO: Vinho Tinto, 100% Shiraz
ÁLCOOL: 13,5%

HISTÓRICO: Inspirado nas colinas das cordilheiras centrais, perto de Orange, no Estado de Nova Gales do Sul, os vinhos “Rolling” são provenientes de vinhedos próprios em áreas de elevação sub-600 mts, onde as temperaturas baixas e a luz solar constante produzem frutos de tonalidades incríveis e sabores vibrantes. Os vinhos de altitude tem corpo médio, são mais frutados, crocantes e vibrantes. Comparando com regiões quentes, obtém-se metade do volume de uvas de cada videira, mas o dobro da intensidade do sabor. A acidez mais elevada é a chave para a perfeita harmonização com comida. Fundada em 2004 a vinícola, com 508 hectares, possui vinhedos em Orange e Central Ranges, e, em South Australia (regiões de Coonawarra, Clare Valley, Adelaide Hills e Langhorne Creek), e Western Australia (em Margaret River). Cumulus é a mais premiada vinícola da região de Orange e recebeu quatro estrelas de James Holliday, no guia Australian Wine Companion. Premiações – Gold: AIN Wine Challenge. Silver: China Wine & Spirits Awards. Bronze: Royal Sydney Wine Show, International Cool Climate Wine Show e Decanter Asia Wine Awards. Commended: Decanter World Wine Awards .

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Visual vermelho carmim com bordas roxas. Aromas de ameixa madura, frutas vermelhas e pretas. Corpo médio, paladar de generosa e aveludada fruta madura e especiarias, combinando com caracteres sutis de carvalho bem integrado. Taninos macios e final prolongado. As uvas provenientes de várias parcelas foram maturadas em carvalho francês por 9 meses e depois misturadas para obter a melhor expressão de corpo, paladar e tanino. Perfeito quando harmonizado com churrasco e carnes assadas, em especial quando forem marinadas com especiarias e ervas.

ENVELHECIMENTO: Pronto agora ou guardar até 2024.

Mistress Block Shiraz

SAFRA: 2006
REGIÃO: Hunter Valley (Nova Gales do Sul)
TIPO: Vinho Tinto, 100% Shiraz
ÁLCOOL: 13,5%

HISTÓRICO: Em 1970, o famoso crítico australiano de vinhos James Halliday fundou esta vinícola em Hunter Valley, que assim foi nomeada devido a grande quantidade de galhos quebrados encontrada na propriedade. Um intenso trabalho de limpeza foi efetivado para a plantação de novos vinhedos. Chefe-enólogo desde 1983, Iain Riggs também utiliza uvas de outras partes da Austrália, incluindo McLaren Vale, Padthaway e Orange. Brokenwood produz uma selecionada linha de vinhos premium, tendo recebido recentemente dois magníficos troféus na competição da Decanter Magazine World Wine Awards pelo seu Hunter Semillon. A safra de 2003 do Mistress Block recebeu 94 pontos de James Halliday em seu Australian Wine Companion 2006.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Excelente concentração de cor e tonalidade de vermelho intenso com violeta. Aromas muito atraentes de chocolate escuro, cereja  escura e notas terrosas, com contribuição de baunilha advinda do carvalho. Apresenta corpo médio, com pimenta e toques de madeira de caixa-de-charuto compondo o caráter da Shiraz, junto com o sabor de fruta madura. A passagem por carvalho francês e americano e taninos frutados proporcionam um final equilibrado e persistente. Servir com osso bucco, carne vermelha, cordeiro ou queijos.

ENVELHECIMENTO: Este é um bom exemplo de tinto do Hunter Valley que pode passar por adegagem prolongada.

Basket Press Shiraz-1997 Museum Release

SAFRA: 1997 – Museum Release
REGIÃO: Barossa Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho Tinto, 100% Shiraz
ÁLCOOL: 14,5%

HISTÓRICO: Rockford só pode ser descrita como ícone, não importa quão demasiadamente usada tenha sido essa palavra. Apesar da sua relativa juventude (estabelecida em 1984), Rockford é uma celebração dos velhos tempos de Barossa, com os vinhos feitos artesanalmente com equipamentos oriundos da virada do século retrasado. O proprietário e enólogo Robert O’Callaghan começou no ofício em 1965 na vinícola Seppelt, em Rutherglen. O’Callaghan salvou da demolição um complexo histórico de pedra de 1850 na vila de Krondorf, onde ele coleciona apetrechos antigos como trituradores manuais e tanques abertos de fermentação em ardósia que adornam a vinícola, embora a produção do vinho seja um pouco mais moderna. Os vinhos são feitos a partir de vinhas velhas de pouca irrigação, portanto são a pura expressão do terroir e condições da safra. O modelo da garrafa marrom de cintura alta dos anos 40 tornou-se sua marca registrada. A vinícola ganhou 5 estrelas vermelhas no Australian Wine Companion 2015, de James Halliday. Recebeu 96 pontos de Halliday, 93 de Jeremy Oliver e 91 de Robert Parker, além de constar no livro “1001 wines you must try before you die”.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Mais do que qualquer outro, Basket Press Shiraz é o rótulo-assinatura. Encorpado, é feito de forma artesanal, com equipamentos da virada do século passado e, em seguida, envelhecido em barricas americana e francesa por dois anos. As videiras tem entre 60 a 140 anos. Possui cor profunda e mostra aromas de chocolate escuro e frutas maduras. O paladar é complexo, com defumado, terroso e especiarias. Os taninos são refinados e o final é persistente. Mostra um poder discreto, equilíbrio e mineralidade que evocam o caráter da fruta e da safra. Basket Press é um estilo que lembra a maturação dos vinhos de Barossa feitos entre 1950 e 1960. No entanto, o seu frescor e flexibilidade refletem a filosofia contemporânea de vinificação.

ENVELHECIMENTO: Com estrutura para envelhecer graciosamente por trinta anos.

Basket Press Shiraz

SAFRA: 2007
REGIÃO: Barossa Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho Tinto, 100% Shiraz
ÁLCOOL: 14,5%

HISTÓRICO: Rockford só pode ser descrita como ícone, não importa quão demasiadamente usada tenha sido essa palavra. Apesar da sua relativa juventude (estabelecida em 1984), Rockford é uma celebração dos velhos tempos de Barossa, com os vinhos feitos artesanalmente com equipamentos oriundos da virada do século retrasado. O proprietário e enólogo Robert O’Callaghan começou no ofício em 1965 na vinícola Seppelt, em Rutherglen: “Foi um aprendizado maravilhoso no antigo, ordenado, lento e suave comércio do vinho australiano. Os vinhos que bebi, os enólogos das gerações anteriores com quem convivi e tudo o que absorvi naquele período tiveram uma grande influência sobre a forma como Rockford é hoje.” O’Callaghan salvou da demolição um complexo histórico de pedra de 1850 na vila de Krondorf, onde ele coleciona apetrechos antigos como trituradores manuais e tanques abertos de fermentação em ardósia que adornam a vinícola, embora a produção do vinho seja um pouco mais moderna. Os vinhos são feitos a partir de vinhas velhas de pouca irrigação, portanto são a pura expressão do terroir e condições da safra. O modelo da garrafa marrom de cintura alta dos anos 40 tornou-se sua marca registrada. A vinícola ganhou 5 estrelas vermelhas no Australian Wine Companion 2015, de James Halliday. Consta como “Exceptional” na Langton´s List e recebeu 92 pontos de Halliday.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Mais do que qualquer outro, Basket Press Shiraz é o rótulo-assinatura. Encorpado, é feito de forma artesanal, com equipamentos da virada do século passado e, em seguida, envelhecido em barricas americana e francesa por dois anos. As videiras tem entre 60 a 140 anos. Possui cor profunda e mostra aromas de chocolate escuro e frutas maduras. O paladar é intenso e muito complexo, com taninos redondos. Mostra um poder discreto, equilíbrio e mineralidade que evocam o caráter da fruta e da safra. Basket Press é um estilo que lembra a maturação dos vinhos de Barossa feitos entre 1950 e 1960. No entanto, o seu frescor e flexibilidade refletem a filosofia contemporânea de vinificação.

ENVELHECIMENTO: Com estrutura para envelhecer graciosamente por vinte anos.

Rifle Range Cabernet
Sauvignon

SAFRA: 2007
REGIÃO: Barossa Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho Tinto, 100% Cabernet Sauvignon
ÁLCOOL: 14,5%

HISTÓRICO: Rockford só pode ser descrita como ícone, não importa quão demasiadamente usada tenha sido essa palavra. Apesar da sua relativa juventude (estabelecida em 1984), Rockford é uma celebração dos velhos tempos de Barossa, com os vinhos feitos artesanalmente com equipamentos oriundos da virada do século retrasado. O proprietário e enólogo Robert O’Callaghan começou no ofício em 1965 na vinícola Seppelt, em Rutherglen. Ele salvou de demolição um complexo histórico de pedra de1850 na vila de Krondorf, onde ele coleciona apetrechos antigos como trituradores manuais e tanques abertos de fermentação em ardósia que adornam a vinícola, embora a produção do vinho seja um pouco mais moderna. Os vinhos são feitos a partir de vinhas velhas de pouca irrigação, portanto são a pura expressão do terroir e condições da safra. O modelo da garrafa marrom de cintura alta dos anos 40 tornou-se sua marca registrada. A vinícola ganhou 5 estrelas vermelhas no Australian Wine Companion 2015, de James Halliday, que avaliou em 94 pontos este Cabernet Sauvignon.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Embora este varietal mostre as típicas características regionais, também tem a filosofia Rockford estampada nele – um vinho com sabor rico e macio, elaborado a partir de uvas amadurecidas de forma correta, utilizando técnicas de vinificação tradicionais. É envelhecido por dois anos em uma série de barricas de carvalho francês e americano. Assim, os taninos integram-se bem e consolidam-se os sabores, resultando em um vinho voluptuoso, complexo, rico, suave no médio paladar e com belo final terroso.

ENVELHECIMENTO: O vinho pode ser apreciado em sua juventude ou desenvolver-se por mais quinze anos.

The Reserve Cabernet
Sauvignon Shiraz

SAFRA: 2002
REGIÃO: Barossa Valley e Eden Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho tinto, 78% Cabernet Sauvignon e 22% Shiraz
ÁLCOOL: 14,0%

HISTÓRICO: Elaborado apenas em safras especiais (90, 92, 96, 98 e 2001), “The Reserve” representa as melhores vinte barricas de vinho tinto na adega da Yalumba. As uvas são provenientes de vinhedos antigos da região de Eden Valley, com produtividade baixa de cerca de 2 a 5 toneladas por hectare. É uma das poucas e seletas vinícolas do mundo a ter seus próprios funcionários praticando a antiga arte da tanoagem. Cabernet Sauvignon and Shiraz da região de Barossa foram misturadas para criar um vinho de intensidade extraordinária, rico e harmônico com uma estrutura que possibilita o paciente envelhecimento. É um vinho fermentado com leveduras “selvagens” que contribuem para a complexidade do vinho, oferecendo uma elegante textura. Este vinho recebeu medalha de ouro no Decanter World Wine Awards 2008 e recentemente recebeu 94 pontos de Robert Parker, na Wine Advocate (USA), troféu “Melhor Tinto” – Barossa Show 2008, Troféu “The Demptos Classis Oak for the Best Museum Dry Red” – Barossa Show 2008, além dos 96 pontos de James Halliday, no Australian Wine Companion 2010.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Apresenta densa cor vermelho. O olfato é completo com aromas profundos de frutas vermelhas com notas de hortelã e picante cedro. Vigoroso e concentrado, o paladar é intenso e suculento com frutas escuras combinadas com carvalho cremoso, sustentado por agradáveis taninos macios. Este vinho foi maturado por 22 meses em barricas francesas.

ENVELHECIMENTO: Excelente para ser consumido entre 15 a 25 anos.

The Octavius Shiraz

SAFRA: 2004
REGIÃO: Barossa Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho Tinto, 100% Shiraz
ÁLCOOL: 14,5%

HISTÓRICO: Geralmente as uvas para “The Octavius” são oriundas tanto das regiões de Eden Valley quanto de Barossa Valley, no entanto, neste ano apenas uvas de Barossa Valley foram utilizadas. O resultado é um vinho com excelente profundidade de cor, riqueza e complexidade. As videiras são todas antigas, sendo a maioria entre 70 e 100 anos. Os rendimentos do vinhedo estão geralmente entre 2 e 5 toneladas por hectare. Depois de boas chuvas, a primavera-verão foi seca como de costume, mas com um inesperado janeiro fresco (reminiscência da safra 2002), que foi perfeito para a vinha amadurecer e manter a copa saudável. Este período fresco levou a arrefecer as uvas na maior parte das regiões, mantendo excelentes níveis naturais de acidez e cores muito profundas e ricas. Fevereiro e março foram bastante secos e amenos com noites frescas e dias quentes – perfeitas condições para o desenvolvimento do sabor de Shiraz. Este vinho recebeu 96 pontos da revista The Wine Advocate, em outubro de 2007, 93 pontos de Ray Jordan, 95 pontos da publicação The Big Red Wine Book 2008 (AUS) por Campbell Mattinson, foi considerado 5 estrelas pela Winestate Magazine, em 2009 e recentemente recebeu 96 pontos de Robert Parker Jr. na Wine Advocate (USA).

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Um paladar de profundidade e intensidade, com frutas escuras, violetas, aromas florais que ajudam a desvendar a riqueza do vinho. Macio, com taninos refinados que dão equilíbrio e estrutura. Estagiou por 22 meses em carvalho americano, pequenas quantidades de carvalho francês e novas barricas húngaras.

ENVELHECIMENTO: Certamente valerá a pena aguardar por vinte anos.